(Créditos na imagem)

Olá, pessoal! Tudo bem?

Hoje trago o poema que li para o mês de março no Desafio 12 meses de Poe.

ANNABEL LEE

Há muito, muito tempo, existia
num reino junto ao mar,
uma donzela que eu sabia
Annabel Lee se chamar;
Donzela em que outro pensar não se via
do que ser amada e muito amar.

Eu era criança e criança ela também,
num reino junto ao mar,
nos amamos com amor imenso,
Annabel Lee e eu, de tanto amar
com um amor que os alados Serafins
lá no Céu ousaram invejar.

E esta foi a razão de, tempo atrás,
num reino junto ao mar,
de uma nuvem soprar um vento
e a bela Annabel Lee congelar.
Então seus nobres parentes vieram
para de mim a afastar,
para fecharem-na num sepulcro
no reino junto ao mar.

Título: Perversas (Livro 05 série Pretty Little Liars)
Original:  Wicked
Autora: Sara Shepard
Número de páginas: 328
Ano: 2011
Editora: Rocco

Hanna está tentando retomar sua vida após descobrir que sua melhor amiga tentou matá-la, mas, para complicar a situação, precisa aprender a conviver com sua futura meia-irmã, Kate e lutar para manter a popularidade em alta. A indiferença da família Hastings está sendo uma tortura para a adorável Spencer, e com a morte da avó novos e terríveis segredos virão à tona. Parece que Aria não consegue mesmo ficar longe dos homens mais velhos, visitando uma exposição de arte, o que lhe chama a atenção é um interessante desconhecido... que voltará a cruzar seu caminho. E Emily, a garota que gosta de garotas, talvez não goste só de garotas...
Fique esperta. Uma vez em Rosewood, você não poderá sair até descobrir o que o destino preparou para estas belas mentirosas! 

!CUIDADO! PODE CONTER SPOILERS DOS LIVROS ANTERIORES! EU AVISEI! 


Perversas abre um novo arco na história das nossas mentirosas favoritas. Hanna está ainda está tentando assimilar tudo o que aconteceu, desde que foi atropelada e descobrir que sua melhor amiga era –A e a estava torturando, até o fatídico dia em que Mona tenta matar Spencer e acaba morrendo. #tenso. Além disto tudo, Hanna agora tem que conviver diariamente com a irmã postiça, a bela e popular Kate, já que  a garota, sua mãe e o pai de Hanna se mudaram de vez para Rosewood, enquanto a mãe de Hanna aceitou uma oferta de emprego em outro país.

Emily anda com uns problemas bem... desconcertantes. Após assumir para toda a família que ela, sim, é lésbica, a menina conhece um garoto que passa a mexer com os seus sentimentos. O que causa mais um turbilhão de emoções na vida da menina.

(Fonte: https://www.montagemfotos.com.br/ )

Olá, queridos! Como vocês estão?

Hoje trago para vocês uma entrevista mais que especial com a parceira do blog Valéria Gravino.

Valéria Reis Gravino é advogada, MBA em Direito Tributário e MBA em Gestão & Business Law. É professora e articulista de vários sites. Autora do livro "A responsabilidade do sócio na execução fiscal", que alcançou o 1º lugar na lista dos livros mais vendidos da Amazon, em Direito Tributário, encontra-se também disponível na Saraiva. É também autora do livro "Enquanto Espero", que concorreu ao Prêmio Kindle Literatura 2016. Atualmente concorre ao Prêmio Off Flip 2017 com o conto "Mar de intrigas".

V&L – Você sempre gostou de escrever? Como surgiu a vontade e oportunidade  de escrever profissionalmente?

Valéria – Sempre gostei sim. Surgiu recentemente quando comecei a ter artigos publicados por alguns sites.

V&L – Em que você se inspirou para escrever Enquanto Espero? 


Valéria –  Me inspirei em algumas histórias de pessoas que me contavam o início de vida profissional delas. Era muito parecido com o meu é dali resolvi desenvolver um romance.

V&L – Como foi sua reação ao publicar os livros?

Valéria – Fiquei bastante ansiosa por não ser familiarizada com o processo de produção de um livro. E ainda estou! Rsrs

V&L – Os livros “A responsabilidade do Sócio na Execução Fiscal” e “Enquanto Espero” são gêneros totalmente diferentes, sendo o primeiro de gênero técnico e o segundo de ficção. Qual deles exigiu mais trabalho?

Valéria – O primeiro, com certeza! A falta de liberdade para criar quando se tem amarras tão firmes como as leis e o nível de rigor técnico, tornam o trabalho mais denso e isso me exigiu mais trabalho.


Título: Eleonora
Autor: Edgar Allan Poe
Número de páginas: 4
Ano: 1841
Tradução: Fonte não localizada 

Sinopse: Um homem vive com uma prima e uma tia no Vale de Many-Colored Grass, um paraíso idílico repleto de flores, árvores fantásticas e o Rio do Silêncio. Este paraíso permanecia inacessível a forasteiros por isso eles viviam isolados, mas felizes. (Fonte: http://www.livros-digitais.com/edgar-allan-poe/eleonora/sinopse)

Assim como outras histórias de Poe, o narrador começa falando sobre sua experiência com o sobrenatural e a questão da loucura, de certa forma até exaltando-a:

"Descendo de uma estirpe que se distingue pelo vigor da imaginação e pelo ardor das paixões. Os homens chamaram-me louco; mas está ainda por estabelecer se a loucura é ou não a mais suprema inteligência, se muito do que é glorioso, se tudo o que é profundo não provém de uma enfermidade do pensamento - de modos de espírito exaltados em detrimento do intelecto geral. [...]"
Ele vai relatando em seguida o porquê de ser considerado louco, mostrando que por trás de uma história aparentemente comum e inocente, há uma consequência terrivelmente sombria e traumática.

Eleonora nada mais é do que a prima do narrador, e estes eram apaixonados desde a infância. Eles moravam juntos e viviam em um lugar magnífico para inspirar tal romance.

Porém, logo na juventude, Eleonora acaba morrendo, e pouco antes de morrer seu amado promete-lhe não amar outra mulher como havia amado-a.

Oi, bonitos! Como está o final de semana de vocês?

Enfim chegou o sábado, o dia das capas temáticas! (uhuuul)  Espero que gostem da seleção que escolhi com o tema dessa edição.

Continuando com as cores do arco-íris, a cor da vez é a roxa. Quando fui escolher as capas fiquei chateada por descobrir que só tenho um livro com essa cor, e eu adoro roxo. Mas durante a pequisa me uma vontade enorme de adquirir quase todos (rsrs).

A série Fazendo meu Filme é um queridinho aqui no blog. Tem resenha de todos eles e por tanto gostar da escrita da autora, não podia deixar essa capa mega-fofa de fora. Como uma fanática por filmes, acabei adorarando esses acessórios em Fazendo meu filme 4 (resenha aqui). São muito fofinhos *-*.
Outra querida aqui, tanto para mim quanto para Nina, é a autora Meg Cabot. Ainda não tive a oportunidade de ler Tamanho 42 e pronta para arrasar, mas estou muito interessada desde que conheci a série. Essa capa é um charme só.
Já a capa de Dezesseis Luas é um pouco sombria, mas não deixa de ter seu encanto. Roxo e cinza/prata (não consegui identificar o tom rsrs) dão um contraste bem legal, e a sinopse do livro me agradou muito.